Forças Armadas inspecionam código-fonte de urnas eletrônicas

Forças Armadas inspecionam código-fonte de urnas eletrônicas

As Forças Armadas inspecionaram hoje (03) os códigos-fonte das urnas eletrônicas e dos sistemas de votação. Futuramente, outras entidades ainda podem realizar o procedimento. Na parte da manhã, técnicos da justiça eleitoral fizeram reuniões explicativas. A inspeção começou pela tarde, em uma sala do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), reservada para fins de segurança.

Segundo a assessoria do TSE, a análise do código-fonte das urnas foi feita após o Ministério da Defesa ter enviado, na última segunda-feira (01), um ofício ao TSE, pedindo acesso “urgentíssimo” a esses dados. O órgão respondeu, dizendo que o acesso já estava disponível desde outubro de 2021.

Códigos-fonte são os comandos e instruções, escritos em linguagem computacional, que constroem um programa para equipamentos eletrônicos funcionarem. Até hoje, uma grande variedade de órgãos públicos e entidades já realizaram a inspeção nos aparelhos. Entre elas, a Controladoria-Geral da União (CGU), o Ministério Público Federal (MPF), o Senado, o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

A Polícia Federal (PF) agendou inspeção entre os dias 22 e 28 de agosto. Desde 2020, o TSE tem aumentado a lista de instituições com permissão para isso. Além do procedimento, ainda existe um projeto-piloto que permite acesso remoto aos códigos para a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a PF.

 

Texto: Hugo Netto (sob supervisão de Elias Arruda)

Revisão: Victor Ferreira

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.