IBGE inicia pesquisa domiciliar do Censo 2022 em todo o Brasil

IBGE inicia pesquisa domiciliar do Censo 2022 em todo o Brasil

Começa hoje (01) a coleta domiciliar do Censo 2022, feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em Minas Gerais e todo o restante do Brasil. Este ano, os moradores que não tiverem tempo de preencher o questionário podem responder as perguntas pela internet ou por telefone, através do Centro de Apoio ao Censo (CAC), no prazo de até sete dias após a visita presencial do recenseador.

As visitas vão acontecer até o final de outubro, em cada um dos domicílios nos 5.570 municípios do país, incluindo aldeias indígenas e territórios quilombolas. De acordo com o IBGE, aproximadamente 75 milhões de residências brasileiras devem ser atendidas.

O Censo coleta informações de idade, sexo, cor, raça, religião, renda e outros dados que podem auxiliar os governantes a atender a demanda da população. Além disso, é um serviço público para a sociedade, que pode trazer números atualizados para aqueles que desejam iniciar investimentos a conhecerem a população de cada município.

Todos os recenseadores do IBGE estarão identificados com boné, colete e crachá. Neste último, há um QR Code que pode ser lido pelo celular. Com isso, o cidadão pode confirmar o nome e a foto do recenseador e verificar se ele pertence ao quadro de servidores do Instituto. Em caso de dúvida, basta ligar para o IBGE no número 0800 721 8181.

A pesquisa ocorre a cada dez anos, e estava prevista para ocorrer em 2020, mas teve a edição foi adiado, devido aos protocolos de segurança impostos pelo novo coronavírus. Em 2021, o Censo foi adiado novamente por falta de recursos, até ter sido suspenso pelo presidente Jair Bolsonaro.

Segundo o diretor de Pesquisas do IBGE, Cimar Azeredo, os dados desatualizados do Censo tiveram impacto na distribuição de vacinas contra a covid-19. No início da pandemia, muitas prefeituras não sabiam exatamente qual era o número total da população de suas cidades, e com isso, alguns municípios receberam imunizantes a mais e outros, a menos.

 

Texto: Victor Ferreira

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.