Homens ainda procuram menos atendimento médico do que mulheres

Homens ainda procuram menos atendimento médico do que mulheres

Um levantamento inédito da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) mostra que a demanda entre homens e mulheres por atendimento médico no Sistema Único de Saúde (SUS) permanece desequilibrada, embora a distância entre os gêneros venha se reduzindo ao longo dos anos. Os dados são do Sistema de Informação Ambulatorial do Ministério da Saúde.

Mais de 312 milhões de homens foram atendidos em 2022, enquanto o número de mulheres ultrapassa os 370 milhões. No ano passado, foram mais de 725 milhões de homens contra mais de 860 milhões de mulheres. O Departamento de Andrologia, Reprodução e Sexualidade da SBU acredita que o resultado seja fruto de uma questão cultural.

Essa diferença entre gêneros fica mais evidente ao analisar tratamentos específicos. Em 2022, já foram mais de 1,2 milhão de atendimentos femininos por ginecologistas, enquanto o total de visitas a urologistas ficou em 200 mil. Na data de hoje (15), o Brasil comemora o Dia do Homem, e por isso, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) alerta para a importância dos cuidados com a saúde masculina.

De acordo com a SBU, o câncer de próstata é o segundo tipo de câncer que mais acomete a população masculina, ficando atrás apenas do câncer de pele. Em terceiro está o câncer de bexiga, presente três vezes mais em homens do que em mulheres. A entidade também informa que, este ano, devem ser identificados em média, 7.590 novos casos entre os homens e 3.050 entre as mulheres. 

 

Texto: Victor Ferreira

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.