Quatro a cada 10 pessoas LGBTQIA+ já sofreram discriminação no trabalho

Quatro a cada 10 pessoas LGBTQIA+ já sofreram discriminação no trabalho

Um levantamento divulgado pelo LinkedIn, rede social com foco no mercado profissional, mostra que quatro a cada dez pessoas LGBTQIA+ relatam já ter sofrido discriminação no ambiente de trabalho. O número é maior em relação a 2019, quando 35% dos entrevistados disseram ter sido vítimas de preconceito no trabalho.

No total, a pesquisa fez 1.181 entrevistas de forma online, entre 6 e 20 de maio de 2022, sendo 1,1 mil com profissionais LGBTQIA+ e o restante com heterossexuais. Os entrevistados têm idades entre 18 e 60 anos e são de todas as regiões do Brasil.

Os dados apontam que 8 a cada 10 pessoas LGBTQIA+ sentem-se confortáveis para compartilhar a identidade de gênero e a orientação sexual no ambiente profissional. Entretanto, 43% dizem já ter sido vítimas de preconceito nestes locais, principalmente por meio de piadas e comentários homofóbicos.

Para 72% do total dos entrevistados, deveria haver punição para quem cometer discriminação no ambiente de trabalho por causa da orientação sexual dos colegas. Além disso, 80% acham importante que a empresa se posicione na promoção da igualdade.

Pouco menos da metade dos profissionais (45%) afirma nunca ter trabalhado com pessoas trans e 77% sentem falta de representatividade de profissionais transgêneros no mercado de trabalho formal. O levantamento da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) mostra que 90% dessa população estão no mercado da prostituição e não conseguem ter acesso ao mercado formal.

 

Texto: Victor Ferreira

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.