Doação de leite humano não cobre metade da demanda nacional

Doação de leite humano não cobre metade da demanda nacional

O Ministério da Saúde lançou uma nova edição da Campanha Nacional de Doação de Leite Humano, com o tema “Doe leite materno e receba a gratidão de uma vida”. O Brasil conta com 225 bancos de leite e 217 pontos de coleta, mas o total de volumes doados só atende a cerca de 55% de toda a demanda nacional, ou seja, pouco acima da metade da necessidade real. 

Ainda assim, o país é referência na coleta de doação do leite humano, utilizado principalmente para alimentar bebês prematuros e de baixo peso internados em leitos neonatais. A meta do Ministério é ampliar a oferta de leite materno em 5% para os recém-nascidos internados nas maternidades do país. 

De janeiro a dezembro de 2021, foram distribuídos 168 mil litros de leite para 237 mil recém-nascidos, um aumento de 7% em relação ao ano anterior. No entanto, cerca de 340 mil bebês prematuros ou de baixo peso nascem todos os anos no país, o que corresponde a 12% do total de nascidos vivos. Nesta quinta, foi celebrado (19) o Dia Nacional de Doação de Leite Humano, e o Ministério da Saúde deu início à campanha de mobilização.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), mais de 3,2 milhões de bebês receberam leite materno doado no país em 22 anos. A proporção das doações de leite é de uma mulher doadora para cada 12 mulheres assistidas. Com a ampliação das taxas de amamentação até o sexto mês de vida, aproximadamente 6 milhões de vidas podem ser salvas por ano.

 

Texto: Victor Ferreira

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.