Crescem os casos de síndrome respiratória grave em crianças

Crescem os casos de síndrome respiratória grave em crianças

Segundo dados do boletim Infogripe, realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em crianças continuam a crescer. De acordo com a edição disponibilizada na quarta-feira (13), a maior parte das ocorrências estão ligadas ao vírus sincicial respiratório (VSR) em jovens de 0 a 4 anos de idade. Nas crianças de 5 a 11 anos, os registros estão conectados principalmente à covid-19 e infecções do rinovírus.

A Síndrome Respiratória é uma complicação muitas vezes associada ao agravamento de infecções virais. Ela pode apresentar desconforto respiratório e queda no nível de saturação de oxigênio, entre outros sintomas. Em 2020, no início da pandemia, a disseminação de casos de SRAG chegou a representar 97% das notificações de vírus respiratórios em resultados laboratoriais. Atualmente, esse percentual é menor: 86,1% das ocorrências de 2022 estão ligadas à covid-19.

Já o número de mortes por Síndrome Respiratória deste ano chegou a 22.645. As ocorrências do ano estão em 112.087. Das 27 unidades federativas, nove registram sinal de crescimento na tendência de longo prazo: Acre, Amapá, Espírito Santo, Maranhão, Piauí, Paraná, Roraima, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Os demais estados apresentam sinal de queda ou de estabilidade.

 

Texto: Victor Ferreira

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.