Mulher negra foi mantida em condições semelhantes à escravidão por 50 anos

Mulher negra foi mantida em condições semelhantes à escravidão por 50 anos

Em Santos, no litoral de São Paulo, uma família está sendo processada pelo Ministério Público do trabalho (MPT) por ter mantido, durante 50 anos, uma mulher negra em situação semelhante à escravidão. Segundo o MPT, a vítima, hoje com 89 anos, foi admitida como empregada doméstica em uma residência, sem receber salário ou qualquer tipo de auxílio financeiro nos anos seguintes.

Em relato, a idosa contou ter sido impedida de realizar diversos exercícios básicos de livre arbítrio. Entre eles, sair de casa sozinha, procurar por familiares e guardar grandes quantias consigo mesma. Ela ainda sofreu abusos verbais e físicos por parte da patroa e das filhas, como tapas e socos. Em certa ocasião, uma vizinha denunciou o caso à Delegacia de Proteção às Pessoas Idosas, após ter conseguido registrar agressões verbais direcionadas à vítima.

A ação pede que a mulher seja indenizada em até R$ 1 milhão de reais, por danos morais. Também foi solicitado o bloqueio de bens móveis e de outros imóveis dos réus, além de veículos e ativos. O valor deve ser revertido para programas específicos de combate ao trabalho escravo. Os acusados devem ainda confirmar verbalmente que submeteram a trabalhadora à situação abusiva e exploratória.

 

Texto: Victor Ferreira

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.