Internacional

Deportar milhões de imigrantes prejudicaria a economia dos EUA, diz especialista

Internacional 10/11/2016/ 12:00:41
Deportar milhões de imigrantes prejudicaria a economia dos EUA, diz especialista





Trump prometeu deportar 11 milhões de imigrantes e construir muro na fronteira com o México Thinkstock







A vitória de Donald Trump nos EUA aumentou o temor dos imigrantes ilegais que vivem no país e deixou ainda mais obscuro o seu futuro. Em 2014, Barack Obama havia dado início a uma reforma migratória que poderia legalizar a situação de milhões de pessoas, mas, com Trump na Presidência e o Partido Republicano no comando do Senado e da Câmara, o projeto fica cada vez mais longe de se tornar realidade.



Durante a campanha eleitoral, Trump se pronunciou diversas vezes contra a reforma de Obama e declarou ainda que pretende deportar todos os 11 milhões de imigrantes ilegais, barrar totalmente a entrada de imigrantes muçulmanos e construir um muro na fronteira com o México.



No entanto, Manuel Furriela, coordenador do curso de relações internacionais do complexo educacional FMU, ressalta que cumprir essas promessas de campanha teria um efeito econômico negativo para os EUA.



? A presença de estrangeiros é absolutamente necessária para vários setores, inclusive para que a economia continue girando. A deportação em massa abriria uma lacuna gigantesca de mão de obra, porque esses imigrantes ilegais, majoritariamente, estão trabalhando por lá. Muitas pessoas que são contra a presença de estrangeiros não entendem o fato de que essas pessoas têm uma função na sociedade. Em países desenvolvidos, a população local acaba não exercendo muitas funções e como é que ele vai preencher essa lacuna? Com os próprios americanos é que não vai ser.



Brasileiros que moram nos EUA estão com medo do governo Trump



Em discurso da vitória, Trump diz que será "presidente de todos os americanos"



A reforma proposta por Obama incluía uma série de decretos que afrouxavam as regras para regularização de estrangeiros vivendo ilegalmente no país e beneficiaria cerca de 5 milhões de imigrantes irregulares, desde que tivessem filhos norte-americanos e não possuíssem antecedentes criminais.



? A ideia do Obama foi de tentar regularizar a situação de, pelo menos, uma parte deles. E, independentemente de que vencesse as eleições, essa pessoa teria que lidar com essa questão. Uma nova lei de imigração é necessária porque a atual não está suprindo a demanda do país.



O presidente iniciou o projeto sem o consentimento do Congresso. Em resposta, 26 Estados acusaram Obama de abuso de autoridade. A reforma acabou sendo barrada pela Suprema Corte dos EUA no ano passado e Obama conseguiu conceder apenas vistos temporários de trabalho aos imigrantes, explica Ingrid Baracchini, advogada especialista em imigração.



? O que o Obama fez foi apenas dar a permissão de trabalho, para que os trabalhadores pudessem pagar impostos. Mas a verdade é que existem milhões de imigrantes ilegais e um número limitado de green cards, o cartão de residência permanente nos EUA. Regularizar todas essas pessoas poderia fazer parecer que o que elas fizeram foi certo. A gente está vivendo uma nova era, que visa tirar o incentivo dos ilegais de pensar, eu vou pegar o visto de turista e depois fico por lá, vai ser fácil, está tudo bem.



Apesar de a perspectiva ser ruim para os imigrantes ilegais, Furriela acredita que Trump não irá  cumprir a promessa de deportar 11 milhões de pessoas.



? Pelo discurso, a gente percebe que ele já amenizou algumas dessas promessas, até porque a execução de uma deportação em massa é muito complicada operacionalmente e por questões humanitárias, então não acredito que ele vá querer sofrer o desgaste de colocar milhões de pessoas para fora do país. O que ele deve fazer é aumentar as restrições à entrada de estrangeiros e mexer com as oportunidades que eles possam ter nos EUA, dificultando as oportunidades de emprego ou estudo.



Até mesmo os estrangeiros com situação legalizadas estão preocupados com a vitória de Trump. No entanto, Furriela acredita que, neste caso, não há motivos para preocupação.



? Para os legais, não tem muito o que ele possa fazer. Mesmo que ele mude a legislação, não se tira nenhum tipo de direito que a pessoa já conquistou. Ele não ter poder para mexer com essas pessoas, porque seria uma medida considerada anticonstitucional. O que ele pode fazer é mudar a legislação para o futuro, mas não tornar ilegal quem é legal.



Ingrid também tranquiliza os imigrantes que vivem de forma regular no país.



? O presidente não altera legislação imigratória. O que ele pode fazer são alterações, de trabalho, por exemplo, mas sempre em prol dos legais. 



Ricaço e polêmico: conheça Donald Trump, o improvável presidente dos Estados Unidos



Hillary diz que derrota é dolorosa: "Precisamos aceitar o resultado e olhar para o futuro"



Fonte: r7.com

Outras Notícias